NOSSA HISTORIA NOSSA GENTE  escrito em quarta 15 setembro 2010 09:39

HISTÓRICO

Blog de xingu :xinguarteblog.com.br, NOSSA HISTORIA NOSSA GENTE

ASPECTOS HISTÓRICOS E CULTURAIS HISTÓRICO As origens do município de São Felix do Xingu estão intimamente ligadas ao Município de Altamira. Em 14 de abril de 1874, através da Lei nº 811, foi criado o Município de Souzel, do qual Altamira fazia parte. Na primeira década do século XX, o governo desmembrou aquele Município, criando o de Xingu, com sede em Altamira. Conforme divisão territorial, com data de 31 de dezembro de 1936, Xingu compunha-se de onze distritos: Altamira, Novo Horizonte, São Félix, Porto de Moz, Tapará, Vilarinho do Monte, Veiros, Aquiqui, Souzel, Alto Xingu e Iriri. Pelo disposto no Decreto-Lei nº 2.972, de 31 de março de 1938, foi mudado o topônimo do Município de Xingu para Altamira, que passou a ser formado por dois distritos: Altamira e Novo Horizonte (zonas de Novo Horizonte e São Félix ). Tal situação foi confirmada, através do Decreto-Lei nº 3.131, de 31 de outubro de 1938, que estabelecia a divisão territorial do Estado para o período de 1939-1943. Em 29 de dezembro de 1961, durante o governo de Aurélio do Carmo, através da Lei nº 2.460, foi criado o Município de São Félix do Xingu, com área desmembrada do Município de Altamira. Com as Leis de nºs 5.449 e 5.455, de 10 de maio de 1988, São Félix do Xingu teve seu território desmembrado para criar os Municípios de Ourilândia do Norte e Tucumã. Atualmente, o Município é constituído de dois distritos: São Félix do Xingu e Gradaús.

CULTURA A Festa de Nossa Senhora das Mercês, padroeira do Município, cuja celebração realiza-se no período de 22 a 31 de maio, é o evento religioso mais freqüentado pela população do Município de São Félix do Xingu e por turistas. As manifestações da cultura popular já tiveram tempos de grande brilho, principalmente, entre os anos de 1928 e 1960. As brincadeiras de bois-bumbás e do Cordão de Pássaro Guará se apresentavam durante as festas. Hoje, as festas juninas, com os folguedos próprios da época, principalmente, exibições de quadrilhas, concurso de miss caipira e outros, constituem os traços mais marcantes da cultura popular de São Félix do Xingu. No artesanato local.

 ASPECTOS FÍSICO-TERRITORIAIS LOCALIZAÇÃO O município de São Félix do Xingu pertence à Mesorregião Sudeste Paraense e a Microrregião de São Félix do Xingu. A sede municipal apresenta as seguintes coordenadas geográficas: 06o 39'30"S e 51o 59'15"W Gr. LIMITES Ao Norte -Municípios de Senador José Porfírio, Altamira, Anapú, Novo Repartimento e Água Azul do Norte Ao Sul - Estado do Mato Grosso A Leste - Municípios de Marabá, Parauapebas, Tucumã, Ourilândia do Norte, Santana do Araguaia e Cumaru do Norte A Oeste - Município de Altamira SOLOS Predominam, no Município, em associação, o Podzólico Vermelho-Amarelo equivalente eutrófico; Podzólico Vermelho-Amarelo e solos litólico distróficos; Gleys e eutróficos e distróficos e solos Aluviais eutrófico distrófico; Terra Roxa Estruturada eutrófica; Podzólico Vermelho-Amarelo e Latossolo Vermelho-Amarelo distrófico; Solos Litólicos distróficos, Podzólico Vermelho-Amarelo e Terra Roxa Estruturada distrófica.

 VEGETAÇÃO A cobertura vegetal (em caracterização geral), além da Floresta Equatorial Latifoliada (predominando ao norte do Município, abrangendo os subtipos Aberta Mista e Aberta Latifoliada), apresenta grandes extensões dos subtipos de Savana, Cerradão, Campos Cerrados e Parques característicos das sub-regiões do relevo residual sul da Amazônia. Marginalmente aos cursos d'água, eventualmente ocorre a mata galeria. Nas áreas inundáveis, está presente a floresta de várzea, abrigando espécies ombrófilas (que gostam de lugares úmidos) dicotiledôneas e palmáceas.

 PATRIMÔNIO NATURAL A alteração da cobertura vegetal natural, vista em imagens LANDSAT-TM, do ano de 1986, era de 2,48%. Este percentual refere-se ao Município, antes de ser desmembrado. O acidente geográfico mais importante é o rio Xingu, contendo, ainda, parte da Serra dos Carajás. De relevante interesse arqueológico é o sítio da foz do igarapé Carapanã, afluente direito do rio Fresco. É destacável a área indígena Apyterewa, com 266.800 ha (2.668 Km²), e a área indígena Kaiapó, com 3.284.004 ha (32.840 Km²), sendo que parte dessa área se localiza no novo Município de Ourilândia do Norte.

 TOPOGRAFIA Não há dados altimétricos precisos. Apenas, alguns levantamentos atestam uma altimetria de 200 a 500 metros, inseridas em áreas com fortes variações morfológicas. GEOLOGIA E RELEVO O Município apresenta uma estrutura geológica complexa, predominantemente, constituído por rochas cristalinas e metasidimentares de idade Pré-Cambriana, que constituem as unidades: Complexo Xingu, de natureza granito-gnáissica-migmatítica; grupo Grão-Pará, de natureza vulcano-sedimentar (greerstone belts); Super grupo Uatumã, de natureza vulcano-plutônica, e sedimentar com seus componentes: Formação Iriri (de natureza vulcânica), Granito Serra dos Carajás, Formação Sobreiro, também vulcânica, Formação rio Fresco (com seus membros Naja e Azul) de natureza vulcânica; Granito Vermelho Guilherme, magmática intrusiva e, finalmente, a seqüência de cobertura de plataforma, representada pelas formações Gorotire e Triunfo. Ao longo dos principais cursos d' água, em alguns trechos desenvolveram-se pequenas planícies de inundações, com a disposição de material inconsolidado, de idade quaternária. Quanto ao relevo, insere-se nas unidades morfoestruturais do Planalto Dissecado do Sul do Pará e Depressão Periférica do Sul do Pará, cujas formas específicas apresentam áreas planas, "inselbergs", chapadões, etc, onde se destaca a porção Ocidental da Serra dos Carajás.

 HIDROGRAFIA O curso d'água de maior expressão é o rio Xingu, grande afluente da margem direita do rio Amazonas, que nasce na serra do Roncador, em Mato Grosso, e percorre uma extensão de 1.980 Km, até alcançar o Amazonas. Sendo um rio de planalto, em geral, apresenta numerosos trechos de queda d'água dentro do Município, possui vários afluentes, destacando-se, de montante para jusante: Ribeirões da Paz, Petita ou Porto Alegre, José Bispo, rio Fresco e os igarapés Triunfo, Porto Seguro, Baú, São José e Portal. O rio Fresco é afluente pela margem direita, em cuja confluência com o Xingu está situada a sede Municipal. CLIMA Devido à localização do Município, o clima apresenta um caráter de transição, que se caracteriza em sua maior parte, pelo tropical quente e subseco. A temperatura, no mês mais quente, é de 26,7º C e, no mais frio, 14,9º C. A precipitação pluviométrica é de 1.423 mm/ano. Fonte: SEPOF-PA Portal Amazônia 08/02/2007 - KR.

 

Compartilhar
1 Fan

Faça um comentário!

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.
Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (107.20.91.81) para se identificar     

Nenhum comentário
NOSSA HISTORIA NOSSA GENTE


Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para xingu

Precisa estar conectado para adicionar xingu para os seus amigos

 
Criar um blog